domingo, 5 de abril de 2009

Não sabes


video




A Ilha dos sentimentos


"Era uma vez uma ilha onde moravam todos os sentimentos. A alegria, a tristeza, a vaidade, a sabedoria, o amor e outros. Um dia, avisaram os moradores desta ilha que ela seria inundada. Apavorado, o amor cuidou para que todos os sentimentos se salvassem. Ele disse: fujam a ilha será inundada.
Todos correram e pegaram nos barquinhos para irem a algum lugar do morro, bem alto e seguro. Só o amor não se apressou. Ele queria ficar um pouco mais com sua ilha.
Quando estava quase a afogar-se, correu para pedir ajuda.
Vinha vindo a riqueza e ele disse: Riqueza levas-me contigo? Não posso, o meu barco está cheio de prata e ouro, tu não cabes".
Passou então a vaidade e ele pediu: Vaidade levas-me contigo? Não posso, vais sujar o meu barco.
Passou a tristeza. Tristeza , posso ir contigo?
Ah! Amor, eu estou tão triste que prefiro ir sozinha.
Passou a alegria, mas a alegria estava tão alegre que não viu o amor.
Já desesperado e achando que ia ficar só, o amor começou a chorar.
Então, passou um barquinho com um velhinho que falou: Sobe amor, eu te levo.
O amor ficou tão feliz que até esqueceu de perguntar o nome do velhinho.
Chegando no morro alto, perguntou à sabedoria: Sabedoria, quem era o velhinho que me trouxe até aqui?
O tempo. O tempo? Mas por que só o tempo me trouxe até aqui? Porque só o tempo é capaz de ajudar a entender...
UM GRANDE AMOR."

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Quando eu quero falar com Deus...




"Quando quero falar com Deus, eu apenas falo.
Quando eu quero falar com Deus, às vezes me calo... "
video

quarta-feira, 1 de abril de 2009

"Lágrimas Ocultas"


Se me ponho a cismar em outras eras
Em que ri e cantei, em que era querida,
Parece-me que foi noutras esferas,
Parece-me que foi numa outra vida...

E a minha triste boca dolorida,
Que dantes tinha o rir das primaveras,
Esbate as linhas graves e severas
E cai num abandono de esquecida!
E fico, pensativa, olhando o vago...

Toma a brandura plácida dum lago
O meu rosto de monja de marfim...
E as lágrimas que choro, branca e calma,
Ninguém as vê brotar dentro da alma!
Ninguém as vê cair dentro de mim!

Florbela Espanca

NeoEarth